Home > Marist World > Brazil: Toques do Tambor Amazônico (Distrito da Amazônia)



Wherever you go

Rule of Life of the Marist Brothers


 



 


Social networking

Marist Brothers

RSS YouTube FaceBook Twitter

 

 


Calls of the XXII General Chapter



FMSI


Archive of updates

 

Marist Calendar

20 January

Saints Fabian and Sebastian

Marist Calendar - January

Toques do Tambor Amazônico (Distrito da Amazônia)

 

Archive: 2019 | 2018 | 2017 | 2016 | 2015 | 2014 | 2013 | 2012 | 2011 | 2010 | 2009 | 2008 | 2007 | 2006 | 2005 | 2004

09/10/2013: Brazil

 

Acordar a aurora: místicos e profetas para o nosso tempo

Um olhar sobre o mundo. O mundo físico, pois viemos de muitas realidades e dialogamos sobre ele como sendo nossa casa comum, a mãe Terra. Também o mundo marista, pois representamos tantas realidades e pessoas envolvidas em nossa experiência de vida nos 5 continentes, nos variados ambientes. Estivemos durante 3 semanas, em l'Hermitage, participando da Conferência Geral.

Olhando as estatísticas, lembramos os 37.780 Irmãos que já fomos ou somos (2/2/1817 – 31/12/2012). Dentre eles, os 11.096 Irmãos Maristas que já estão no céu: ação de graças! E dialogamos sobre a vida e a missão dos 3.380 Irmãos que somos atualmente (8/9/2013), relacionados com as centenas de milhares de pessoas que se sentem parte do irradiante carisma de São Marcelino Champagnat. Muito olhar, sentimento e pensamento também para os que desejamos que continuem, no futuro, a integrar nosso bonito jeito de estar no planeta Terra: místicos e profetas para o nosso tempo!

Ah, l'Hermitage! Esse lindo lugar que continua a nos encantar. Agora renovada, a casa nos propicia mais dinamismo, conforto, segurança... Verdadeiro espírito de Casa-Mãe! Ficaram lindas as reformas estruturais. Lindo, ainda mais, o espírito que se busca preservar: na casa e em seus ambientes, na paisagem envolvente, no Gier que corre, na rocha que a emoldura e sustenta, na lembrança viva do Fundador e dos primeiros Irmãos que deixaram suas marcas em cada ângulo desse lugar! Como foi bom estar ali revisitando também os aposentos do Pe. Champagnat, o seu leito de morte, as salas de encontro, a capela, o relicário, o seu conhecimento pelo povo da região, as informações que povoam nossas mentes e fazem vibrar o coração!

A comunidade! Sim, a comunidade que nos acolhe: Irmãos e leigas, de várias idades e procedências, reivindicando, vivendo e promovendo, nos moldes atuais, o espírito de l'Hermitage: acolhida, serviço, fraternidade, mística, missão! A vida do Fundador e dos Irmãos!

A outra comunidade também! Sim, a nossa comunidade desses dias: 58 Irmãos, lideranças da Congregação, sendo simplesmente Irmãos, chamados a despertar a aurora! E Irmãos que praticam fraternidade, que alimentam sonhos coletivos de internacionalidade e interculturalidade maristas, de mais audaz aproximação e compromisso com a criançada e a juventude. E tudo ligado com a busca de melhores condições de vida para o Planeta. Tudo também baseado, fundamentado num interesse dinâmico em entender e tocar o mistério de Deus no mundo de hoje. Aquele Deus que é grande, muito maior que nossos esquemas ou organizações, mas que pode lhes dar maior significação.

Nosso caminho da Conferência foi baseado em ícones: de l'Hermitage a Fourvière, passando por La Valla. Foi o caminho de volta, ao invés daquele que fez o Fundador e sua turma dos inícios. Somos Irmãos que já voltamos, dos vários cantos do mundo, ao lugar de onde partimos: a grande e missionária l'Hermitage (semana 1: Onde estamos?), chegando à intimidade de La Valla (semana 2: O quê e como fazemos?), para subirmos a Fourvière (semana 3: Quem?), lugar da promessa inicial e ocasião de repartida, após novas promessas feitas e depositadas aos pés da Virgem, para que ela ajude os Maristas a realizarem essas promessas no pós-setembro 2013.

Nós, do Brasil e Cone Sul, como Região, apresentamos a Maria: nosso interesse em crescer em reciprocidade, complementaridade e diálogo. Oferecemos, dentre outras possibilidades, nosso interesse pela criação de uma comunidade internacional e de uma comunidade de formação conjunta, que permitam o incremento de uma nova vida religiosa marista.

A Conferência Geral foi um tempo privilegiado de formação das lideranças do Instituto. Tocou muito o ser dos Irmãos: a sua vocação e o olhar de futuro para a missão. Houve uma excelente dose de temáticas que animaram ou purificaram a essência do nosso ser individual e coletivo. Tudo entrelaçado com tempos de exposições, de escuta ativa ou silenciosa, partilha em variados grupos, encontros personalizados, oração pessoal e liturgias criativas, exploração de símbolos, de ornamentos, das belezas do lugar. Este, considerado pelo Irmão Francisco como sendo o relicário vivo do Padre Champagnat.

De minha parte, me senti sacudido, desafiado, questionado e motivado ao poder partilhar muito de minha vida de irmão com muitos Irmãos. A nossa Amazônia lhes desperta muito interesse! Ao mesmo tempo que eu os escutava, observava, encontrando sintonia. Mas me fez tremer de emoção o fato de, ao estar diante das relíquias de nosso Fundador, dar-me conta de que ele tinha, na ocasião de sua morte, a minha idade atual: 51 anos! Que modo existencial de mexer com meus brios vocacionais e missionários!

Tentando falar um pouco mais da rica experiência de nossa reunião, compartilho flashes do que já nos escreveu o Irmão Joaquim Sperandio, ao partilhar seu diário:

Somos lideranças provinciais, construtores da nova l´Hermitage onde o sonho de evangelizar crianças e jovens deve ser acalentado... Qualquer mudança de cultura institucional deve começar por mim e contagiar os outros Irmãos e leigos/as que conosco comungam. Para isso, o Irmão Emili, Superior-Geral, nos repetiu o conselho dado pelo Papa Francisco: "Evitem a mundanidade espiritual e retomem a simplicidade centrada no Evangelho". A dimensão mística é fundamental para todo o religioso marista. É preciso viver, cultivar e transmitir a mística. Nisto consiste a evangelização: transmitir uma experiência do Deus verdadeiro... Oração e contemplação não são uma obrigação para o marista. São meios privilegiados de humanização. A contemplação muda nossa imagem de Deus (eu e o mundo somos agenda de Deus) e nos ajuda a colocar o ego em seu devido lugar. Só a contemplação nos fará viver "na borda para não ocupar muito espaço", deixando o lugar central para Deus. Também a vida comunitária ganhará novo sabor, pois os outros também são agenda de Deus. O homem não contemplativo corre sério risco de ser egocêntrico e egoísta. Tudo o que um religioso não deve ser. O convite feito por Emili é que repitamos Maria: optar pelo pequeno que se faz grande, porque fecundado pelo Espírito. Conclamou-nos a sermos humanos, nada mais que pessoas, capazes de relações sadias e criadores de ambientes sadios... Todo religioso será um profeta se for um místico. Os místicos e os profetas são semente de nova humanidade. As grandes transformações começam pequenas. Começar por mim, por minha comunidade, pelo meu entorno. O sopro do Espírito fará frutificar a semente que um dia era insignificante. (Ir. Joaquim Sperandio)

III Conferência Interamericana de Provinciais (CIAP)

Terminada a Conferência Geral, os Irmãos Provinciais e Superiores de Distrito das Américas, permanecemos mais 2 dias (30/9-1.º/10) reunidos para falarmos de assuntos de casa. Estiveram conosco Irmãos diretores dos Secretariados da Administração-Geral, o Irmão Superior-Geral e os Conselheiros-Gerais de referência para as Américas e o Ir. Valdícer Fachi, coordenador da Comissão Interamericana de Missão. Tendo por lema: Com Maria peregrina acompanhamos a vida marista na América, trabalhamos com os seguintes objetivos: fortalecer a missão de animação dos Provinciais da América; reler as chamadas da Conferência Geral para o nosso Continente Americano; discernir e aprovar a estrutura organizativa da CIAP; avaliar e aprovar os planejamentos estratégicos das Comissões e Subcomissões da América; avaliar os encontros e atividades realizadas em 2013; informar, refletir e impulsionar possíveis colaborações internacionais na América.

Agradeço a todos que contribuíram para que eu pudesse participar de tão ricas experiências. Peço a Deus e a Maria fidelidade e inspiração para vivenciar e comunicar muito do que experimentei. Concluo com as palavras inspiradoras do Irmão Superior-Geral, em sua carta de 28/4/2012:

O horizonte do bicentenário marista oferece-nos um ponto de referência em relação ao sonho de Champagnat: "despertar a aurora" (Sl 56); "é preciso ajudar a aurora a nascer, acreditando nela" (Ir. Basílio). Temos a rica herança de dois séculos, mas pensamos e sonhamos com os anos que vão seguir os 200 de vida e de vitalidade maristas.
"Despertar a aurora" indica a atitude ativa do compromisso frente aos grandes desafios que os últimos Capítulos Gerais nos indicaram e que poderiam ser sintetizados nas palavras
"profecia" e "mística".
"É apenas a aurora": fica muito caminho para percorrer, mas avançamos com paciência e cheios de confiança no futuro, porque reconhecemos muitos sinais de vida. (
Ir. Emili Turú)

Fraternalmente, Ir. João Gutemberg

62 visits